segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Dia a dia de uma bruxa e a história da Sopa de pedras


Um dos meus intuitos aqui neste meu espaço mágico é ensinar a vocês, que a humanidade não tem rótulos e que devemos sempre desrotular .

Amor, não é de homem para mulher, tem o amor ao próximo, amor a mima pessoa querida, amor a um filho, um animal.

Prosperidade, não é só dinheiro, prosperamos em conhecimento, em alegrias, em amizades...

Sei que parece estranho, mas se vocês começarem a repartir um pouco do que tem quando der é claro (um exemplo legal é ver uma pessoa carente na rua, parar numa padaria e comprar um pão). Isso alimenta sua alma de um jeito. para termos prosperidade devemos nos doar.

Cumprimentar , ao menos com um sorriso, as pessoas que cruzam com vocês na rua, exercer literalmente a cidadania.

Saber ouvir a natureza, contemplar uma planta uma árvore( um dia você poderá ouvir o que ela tem a lhe ensinar)...

Nisso se resume o dia a dia de uma bruxa (uma troca linda de doar e receber), a história abaixo é antiga, e conhecida por todos.

que desta vez ao -la medite sobre ela, preste atenção na sua mensagem!

A história diz: Um tal de Pedro chega numa cidade sem ter o que comer e pensando que terá de arranjar uma forma de se alimentar; resolve então escolher um lugar estratégico onde as pessoas pudessem ver o que estava fazendo e chamar assim a sua atenção.

Acendeu um fogo no chão e foi com uma panela bater numa casa próxima dali; um homem saiu e ele perguntou se podia lhe dar um pouco de água para ele cozinhar uma sopa de pedras.

Obviamente o homem lhe deu a água e ficou muito intrigado; tomado de curiosidade ficou observando Pedro colocar a panela no fogo, juntar duas pedras e depois adicioná-las à panela com água.

Não aguentando a curiosidade, foi ter com Pedro dizendo que não imaginava que se pudesse fazer tal coisa; e perguntou se ficava bom, porque seria muito barato se alimentar assim.

Pedro respondeu seriamente que essa era a melhor sopa que já existira e a mais saborosa, continuando a remexer as pedras na panela.

Depois de alguns momentos disse ao homem que ficaria melhor se tivesse uma batatas para dar um gosto extra, ao que o homem prontamente se ofereceu para trazer algumas, pois queria ver se realmente a sopa poderia ser tomada depois de pronta.

E assim seguiu o Pedro pedindo uma coisa e outra para as pessoas que se aproximaram tomadas de curiosidade, ao vê-lo cozinhando pedras numa panela no meio da rua; itens que foi adicionando à sopa de pedras “somente para dar um pouquinho mais de sabor” como ele dizia à todos os que ali chegavam.

No final ficou mesmo uma completa e maravilhosa sopa que todos saborearam tranquilamente; mas antes de tomar a sopa, Pedro tirou as pedras e as deixou de lado, ao que o homem que lhe havia dado a água e as batatas perguntou:

- Mas você não vai comer as pedras?

Pedro respondeu:

- Não; elas são o ingrediente mágico sem o qual seria impossível ter cozinhado esta deliciosa sopa, mas não são para comer; mesmo sendo imprescindíveis para poder conseguir os outros ingredientes”.

Nós bruxas fazemos sempre isso, com nossos conhecimentos. Acabamos atiçando a curiosidade das pessoas com as nossas "pedras".

E assim as pessoas a nossa volta, acabam sem perceber nos doando os outros "ingredientes" que adicionamos no nosso "caldeirão" e assim fazemos uma bela sopa para todos se deliciarem!

2 comentários:

Anônimo disse...

bom,hoje ao reler com muita atenção vejo assim:se as pessoas pescarem seu proprio peixe e se juntarem aos outros pescadores teraõ fartura e abundancia para tda uma comunidade! marlene

Anônimo disse...

as pedras: as pedras no caminho...voce pode caminhar com cuidado e atenção...voce pode nem olhar pra baixo e seguir aos tropeços cair e precisar de curativos...voce pode pega-las admira-las junta-las para a sopa magica...marcar um caminho sinuoso para que vc e outros não se percam...construir uma morada para ser um lar ! marlene

Selo do Magia se faz na Cozinha

create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!