segunda-feira, 6 de julho de 2009

o que é Magia Natural



A magia natural é direta e objetiva. Apesar de tudo o que possa ter ouvido, a magia não é algo sobrenatural, não natural ou mesmo alienígena. Ela está em nossos próprios quintais, em nossas casas; na própria essência de nossos seres. As forças da Natureza dão poderes à magia – e não aos demônios, “Satã” ou anjos caídos.

Um dos maiores mistérios da magia é que não há mistérios. Pelo contrário, eles estão constantemente se revelando ao nosso redor. O estudo de um simples botão de rosa, de uma folha de grama ou do sopro do vento por meio das folhas de uma árvore revelará tanto quanto, senão mais, sobre a verdadeira natureza da magia do que uma centena de empoeirados tomos renascentistas.

A Natureza é o universo em si. Não apenas seus poderes, mas também suas manifestações. Algumas dessas manifestações, como os espelhos, são artificialmente produzidas, mas estão ligadas e conectadas aos poderes da Natureza por intermédio de seu simbolismo.

Em nossa era cada vez mais automatizada, muitas pessoas se encontram isoladas do planeta que sustenta e mantém nossas próprias vidas. A verdadeira dependência que temos da Terra está esquecida. Muitos estão rompendo suas conexões com a Terra. Como resultado, este é um período de grande agitação, tanto nos planos individuais como no global.

A magia da Terra pode ajudar a descobrir, trabalhar e resolver muitas das pequenas crises e problemas que nos afligem atualmente enquanto indivíduos. Certamente não é uma solução simples para os problemas do mundo, mais pode trazer ordem a nossas vidas, e isso já é um bom começo.

Segundo o pensamento da magia, o corpo humano é o “microcosmo” (pequena representação) da Terra, que seria o “macrocosmo”. A Terra é também o microcosmo do Universo. Em outras palavras, somos representações da essência do planeta e, por conseqüência, do Universo. Assim sendo, ao mudarmos a nós mesmos, mudamos a Terra e o Universo.

A magia é útil quando traz tais mudanças a nossas vidas e, dessa forma, à própria Terra.

Tais mudanças devem ser positivas. Aqui não possui nenhuma magia maligna ou negativa, pois já há muita negatividade neste mundo.

O objetivo de toda magia, trilhas ocultas e religiões místicas é a perfeição do ser. Embora isto possa não ser obtido em uma vida, é perfeitamente possível que melhoremos a nós mesmos. Este ato singular já faz com que a Terra se torne muito mais saudável.

Se praticar qualquer magia a seguir, seja ao desenhar um coração na areia, contemplar um espelho para antever o futuro, seja para atar um nó para auxiliar um amigo com problemas, tenha em mente os mais elevados aspectos de seus trabalhos. Você está melhorando o mundo e ajudando a curá-lo das terríveis mazelas que sofreu por nossas mãos.

É isso que torna o praticante da magia natural verdadeiramente divino.

Pronunciando Magia

A magia é a utilização das forças da Natureza para acarretar as mudanças necessárias.

Para atrair, intensificar e direcionar essas energias, o mago utiliza alguns instrumentos. Podem ser itens preciosos como adagas incrustadas com pedras preciosas e reluzentes incensários de prata, ou objetos naturais, como gravetos e pedras. Os instrumentos necessários aqui são os naturais. Pedras, árvores, rios, folhas e plantas formam o rol de instrumentos da magia natural, juntamente a alguns itens “comprados em lojas”, como espelhos, velas e linhas.

A manipulação desses instrumentos, em conjunto com a necessidade premente, é normalmente o bastante para trabalhar a magia, pra que alguns poderes da Natureza se ativem e tragam as mudanças necessárias. A magia é enganosamente simples e incrivelmente fácil.

Obviamente, enterrar uma pedra no solo, segurar uma folha ou desenhar uma figura num automóvel, por si só, não acarreta nada.

Somente quando tais gestos são executados num estado de carga emocional é que as mudanças são forjadas e a magia realmente acontece.

Para que a magia efetivamente aconteça, três fatores deve estar presentes: a necessidade, a emoção e o conhecimento

A necessidade é simples. Você acorda numa manhã com uma terrível dor de cabeça da qual não consegue se livrar. Ou pode ser que precise de cem dólares até o final mês. Um amigo pode estar em busca de um novo amor. Em todos esses casos, há uma necessidade.

A necessidade não deve ser confundida com o desejo. Os desejos costumam ser passageiros, o que desejamos esta manhã pode ser suplantado por outro desejo na manhã seguinte. Um desejo é um capricho; já uma necessidade é um estado importante, de sentimentos profundos, que nos consome.

A emoção é também muito clara. Pode precisar de um emprego, por exemplo, mas se não estiver emocionalmente envolvido na busca desse emprego, preocupado, ansioso ou irritado, nem mesmo todos os encantamentos do mundo lhe trarão tal emprego.

Eis o porquê de, algumas vezes, ser infrutífero realizar encantamentos para outras pessoas, a não ser que você possa sentir a mesma necessidade que elas sentem – emocionalmente.

O conhecimento constitui o corpo da sabedoria mágica. Em outras palavras, um encantamento ou ritual, ou as teorias básicas por trás deles, que nos permitem criar nossos próprios conhecimentos.

Um encantamento ou ritual é apenas um modo de fazer algo. Há muitos outros meios, e muitas variações possíveis para um encantamento.

Com estes três fatores, qualquer coisa pode ser atingida, limitada apenas por nossa experiência e tempo. A primeira é a chave – somente ao realizar magia você saberá se funciona ou não.

A magia é algo semelhante a uma passarela desconhecida. De início, você pisará de leve, testando, checando se é segura.

Depois, você caminhará sobre ela confiantemente, sabendo onde pisar e onde evitar.

Muitas pessoas encaram a magia com desconfiança, prontas para crer, mas incapazes disto sem provas.

É uma prática saudável. A crença é uma coisa, mas a certeza é outra bem diferente. Há a possibilidade de uma crença não ser fundada. A certeza, no entanto, é apenas aquilo – os frutos da experiência que nos permitem aceitar algo por inteiro.

A limitações – dúvidas e falsas crenças – são eliminadas apenas por meio da perseverança e do trabalho. Muitas pessoas sentem que vale o esforço, mas esta é uma escolha puramente pessoal.

Magia deveria ser executada visando efeitos positivos, nunca negativos. A manipulação do poder para infligir doença, dor, morte; destruir, usurpar ou causar qualquer dano à propriedade de outra pessoa; ou para controlar outra pessoa é considerada magia negativa.

Isso inclui forçar alguém a se apaixonar por você ou a fazer sexo com você; interromper um casamento ou um caso de amor; mudar a cabeça de outra pessoa – forçar alguém a fazer algo que não deseja.

A magia não é um campo aberto onde os egos e as necessidades egoístas podem ser satisfeitas com um capricho. Há riscos à espera daqueles que efetuam trabalhos negativos. Essa magia pode se concretizar, mas as duras conseqüências nunca compensam os efeitos.

Há um princípio mágico segundo o qual o que você deposita em sua magia é exatamente o que vai receber. Se executar magia benéfica, você receberá de volta essas benesses. O mago negativo, entretanto, receberá apenas negatividade, e normalmente ela destruirá aquele que manipula.

À luz deste princípio, não há aparentemente razões para efetuar magia negativa (geralmente chamada de “magia negra”). Realmente, não há. Aqueles que ainda não se convenceram e que a executam receberão os frutos das ações.

Obviamente, é o aspecto benéfico da magia que a torna, e ao seu usuário, divinos.

A magia negativa sempre teve seus seguidores. São aqueles seduzidos pelo mal, cegos pelo poder temporário eu lhes é oferecido, impossibilitados de ver a luz até que seja tarde demais.

Algumas magias a seguir são destrutivas, e isso pode gerar algumas confusão. A maioria de nós associa a destruição com o mal. Entretanto, a destruição da própria negatividade – com maus hábitos, obsessões, males e assim por diante – não é negativa. Uma vez que isto não causa mal a ninguém, pelo contrário, ajuda, é seguro dizer que é magia positiva.

Magia Para Si Mesmo

Executar magia para si mesmo não é egoísmo, pois melhora todo o mundo. Muitas pessoas parecem crer que é ótimo criar um encantamento para um amigo mas não conseguem realizar nada para si próprias.

Esta é uma idéia distorcida, e deve ser abandonada quanto antes. Apenas quem é saudável, feliz e financeiramente seguro pode auxiliar os outros, do mesmo modo como deve amar a si próprio para que então os outros o amem.

Parte desta confusão vem das técnicas utilizadas. A magia que lhe traz benefícios em detrimento de outras pessoas deve ser evitada, pois não condiz com a moralidade da magia.

Normalmente, há um meio de melhorar sua vida e a si mesmo sem causar danos a outros, e esta é a magia que deve ser utilizada.

Nunca se sinta egoísta ao executar magia em seu proveito, desde que não cause mal a ninguém.

Magia Para Os Outros

Se divulgar suas atividades mágicas, outras pessoas virão até você e pedirão que execute encantamentos. Cabe a você decidir se fará ou não sua vontade, e esta decisão deve ser tomada com base em alguns fatores.

Há apenas uma regra de outro no que diz respeito a fazer magia para outros: se isso lhe faz sentir-se bem, faça-a. Caso contrário, desista.

As pessoas tendem a ser um tanto malandras ao pedir auxílio por meio da magia. Normalmente elas disfarçam suas explicações, ou mentem abertamente, para convencê-lo a ajudá-las.

Até mesmo bons amigos podem não ver a verdade em alguns casos, ou podem gerar um incidente fora de proporções. Baseado em tais evidências, você pode até vir a confrontar-se com um problema que nem sequer existe, desperdiçando assim seu tempo e energia.

As pessoas podem também pedir para que realize algo por meio da magia que eles próprios poderiam realizar se arregaçassem as mangas e pusessem as mãos na massa.

Com todos estes pensamentos não ditos, verdades ocultas, mentiras e enganos, o que podemos fazer?

Na magia, é melhor utilizar alguma técnica divinatória para obter algumas respostas.

A adivinhação é um processo mágico pelo qual o desconhecido se torna conhecido. É executado por um sem número de instrumentos – espelhos, nuvens, folhas de chá, borras de café, cartas de tarô, poeira, vento – praticamente qualquer coisa que possa ser utilizada como um instrumento pelo subconsciente, ou mente psíquica.

Outro tipo de adivinhação permite que as próprias forças do Universo determinem o futuro pela movimentação de objetos ou símbolos.

Para aqueles de nós que não são conscientes e desejosamente psíquico, a adivinhação permite que vejam o futuro por apenas alguns fugazes momentos. Por meio da utilização de padrões aleatórios, reflexões ou outros pontos focais, os impulsos psíquicos – estão sempre sendo recebidos por nosso subconsciente – conseguem acessar a mente consciente, tornando-se, deste modo, “conhecido”.

A adivinhação permite também a utilização de vários objetos a serem manipulados tanto pelo mago como pelas próprias forças da Natureza, para que revelem o futuro. Incluem-se aqui as pedras, as flores e chamas. Algumas formas de adivinhação utilizam os dois métodos.

A adivinhação tem um lugar muito importante dentro da magia, pois nos permite conhecer as circunstâncias que envolvem uma dada situação, especialmente naquelas em que um amigo pede seu auxílio mágico. Deste modo, permite que tomemos decisões racionais sobre se devemos ou não executar a magia, com base em informações mais completas.

De modo geral, antes de qualquer atividade de magia, devemos realizar uma adivinhação para nos certificarmos de que a necessidade está presente, que a emoção é suficiente e que o conhecimento é correto.

Mas a adivinhação não se limita estritamente a questões de magia. Pode ser utilizada como um guia para os problemas cotidianos que surgem como um guia para os problemas cotidianos que surgem em nossas vidas.

A maioria dos métodos é rápida e, com prática, deve surtir efeito.

Uma vez que existem muitos métodos diferentes de adivinhação, é melhor você experimentar vários até que encontre aquele que mais lhe agrada.

Uma palavra de alerta: a adivinhação, quando utilizada para antever o futuro, mostra eventos possíveis.

Se não lhe agrade o que vê, aja para mudar sua vida antes que o futuro se torne presente.

A Mão De Poder

A magia lida com os poderes produzidos pelo corpo, os quais são utilizados em alguns encantamentos e rituais. É uma parte da energia universal que sustenta nossos corpos. Parte desse poder é liberado pelo estado emocional atingido durante a prática da magia e é enviado juntamente a outras energias que tenham sido conjuradas para que sua necessidade pudesse se manifestar.

A mão do poder é aquela pela qual tais poderes são liberados. É a mão com a qual escreve. Se for ambidestro, e puder utilizar ambas as mãos, escolha uma e mantenha sua opção.

Essa mão é utilizada em magia para apresentar, segurar, arremessar ou executar qualquer outro gesto de modo ritualístico durante um encantamento.

É aconselhável utilizar a mão com a qual escreve quando solicitado em rituais específicos, pois essa é uma mão hábil, e é por meio dela que as energias são normalmente liberadas. Portanto, se desenhou um símbolo representando sua necessidade com sua mão de poder, o próprio símbolo estará imbuído com um pouco de sua energia.

Esta tem sido a base da magia.

Costuma-se dizer que a magia foi a primeira religião, e que ao utilizarmos amorosamente as forças da Natureza para causar mudanças benéficas, integramo-nos a elas.

Essas forças foram personificas como Deuses e Deusas.

Sintonizar-se com eles é uma experiência espiritual e é a base de toda religião verdadeira.

As técnicas necessárias para praticar magia natural são simples e de fácil aprendizado. Seu desejo de praticar determinará quanto você se adaptará a elas. Como qualquer outra coisa, a magia normalmente se torna mais fácil com a prática.

Simbolismo

Uma vez que o subconsciente opera por símbolos, é importante cultivar a habilidade de interpretar esses símbolos para decifrar sua mensagem.

Ninguém além de você sabe – realmente – o que os símbolos querem dizer para você. São muito pessoais, resgatados de sua mente subconsciente, e as interpretações de outras pessoas podem ser completamente equivocadas.

Entretanto, uma consulta ao simbolismo tradicional pode ser útil ao mostrar como o simbolismo funciona, e como o código pode ser desvendado ao usarmos a ferramenta da mente, o pensamento.

Ao acender um fogo, aguarde até que as chamas se consumam e contemple as brasas; você poderá ver a imagem de uma tartaruga.

Em vez disso, olhe para o próprio símbolo. Uma tartaruga. O que vem imediatamente à sua mente? Uma criatura de movimentos lentos. Talvez aquática. Com seu casco duro, é capaz de se ocultar interiormente para fugir do mundo externo. E é fértil: algumas tartarugas botam centenas de ovos.

Estas são as várias associações a tartarugas. Sua próxima tarefa será conectar essas associações à questão que perguntou. Se perguntou por que não consegue manter um relacionamento amoroso, talvez sua mente psíquica esteja lhe dizendo que você está agindo como uma tartaruga – teimoso, lento, sempre fugindo do mundo.

Analise apenas as qualidades do símbolo que se relacionam à sua questão. Assim, logo obterá uma resposta.

Se não levantou nenhuma questão, determine um possível evento futuro do mesmo modo, aplicando as associações dos símbolos à sua vida. A resposta surgirá.

Embora esse processo seja por vezes difícil, requerendo muito tempo e trabalho, é um dos componentes básicos de qualquer ato divinatório; uma vez de posse dos símbolos ou figuras, você deve interpretá-los.

Lembre-se de que estes são significados sugeridos para alguns símbolos comumente vistos. Se estiver em completo desacordo com algum deles, siga sua intuição. É a melhor interpretação.

ABACAXI: Hospitalidade, Vida fácil.

ABELHAS, COLMÉIA, FAVO: Indústria, Frugalidade, Trabalho árduo.

AMPULHETA: Cuidado.

ÂNCORA: Viagem. Descanso.

ANEL: Casamento. Eternidade.

ARANHA: Muito boa sorte. Astúcia. Segredo. Coisas ocultas. Dinheiro.

ÁRVORE: Boa sorte. Forças da natureza. Idade. Estabilidade. Poder.

AVE: Poderes psíquicos. Vôo. Movimento. Boa sorte.

AVIÃO: Viagem. Novos projetos.

BALANÇAS: Equilíbrio. Justiça.

BARCO: Descoberta.

BEBÊ; Novos interesses.

BEIJA-FLOR: Comunicação. Visitas.

BERÇO: Estranhos.

BOLSA: Ganho. Dinheiro.

BORBOLETA: Frivolidades. Coisas não essenciais.

CAIXÃO: Surpresa! Não é morte, mas uma longa e irritante, porém não séria doença.

CALDEIRÃO: Transformações. Grandes possibilidades. Mulheres. Recomeços. Fins.

CÃO: Amor. Amigo. Fidelidade

CASA: Sucesso.

CAVALO: Força. Viagem. Graça.

CESTA: Presente.

CHAMA, FOGO: Purificação. Mudança. Desejo,. Dominação. Forças motrizes.

CHAPÉU: Rival. Honras.

CHAVE: Mistérios. Elucidações. Segurança. Prosperidade. Fertilidade.

CHIFRES: Fertilidade. Santidade. Espiritualidade. Forças da Natureza.

CISNE: Boa sorte. Um amante.

COBRA: Sabedoria. Eternidade. Masculinidade. Um homem. Segredo. Conhecimento.

COGUMELO: Abrigo. Alimento.

COLHER: Sorte.

CONCHA: Criatividade. Boa sorte. Dinheiro. Prosperidade. Estabilidade emocional.

CONES DE PINHO: Alimento. Sustento. Inverno.

CORAÇÃO: Amor. Prazer.

CORNUCÓPIA: Fertilidade. Proteção. Prosperidade. Animais. Refreamento.

COROA: Sucesso.

CORUJA: Sabedoria.

CRÂNIO E OSSOS CRUZADOS: Morte. Ressurreição. Conforto. Consolo.

CRESCENTE: Frescor. Novidade. Mãe. Mulheres.

CRUZ: De braços iguais: poderes da Natureza. Os Elementos. Grandes energias em ação. Cruz cristã: Religião. Consolação. Sofrimento.

ESCADA: Tumulto. Sol. Subida. Descida. Evolução. Iniciação.

ESPADA: Vida. Morte. Conflitos. Discussões. Negatividade.

ESPELHO: Reverso. Lua. Mulheres. Amor. Reflexão. Beleza. Sabedoria. Transferência. Comunicação.

ESTRELA: Sorte excepcional. Proteção divina. Fortuna. Riqueza. Grandes honrarias. Respeitabilidade. Sucesso.

FECHADURA: Obstáculos. Proteção. Segurança.

FERRADURA: Sorte. Proteção. Viagem.

FLECHA: Notícias

FONTE: Espiritualidade. Inspiração. Mãe Natureza. Amor.

GATO: Sabedoria. Intelectualismo. Alheamento.

JAULA, GRADES DE PRISÃO: Restrição. Isolação. Solidão.

LEÃO: Influência. Realeza. Poder. Força. Ferocidade.

LUVA: Sorte. Proteção.

MONTANHA: Jornadas. Obstáculos.

NAVIO: Ganho. Viagem. Novidades.

NÓ: Manifestação. Obstáculo. Casamento. Compromisso. Restrição.

NUVENS: Dores de cabeça. Problemas mentais. A mente. Pensamentos.

OLHO: Introspecção. Inspeção. Avaliação.

OVO: Ganhos. Fertilidade. Sorte.

PAPAGAIO: Impetuosidade. Cor. Escândalo.

PATO: Saúde. Fartura.

PAVÃO: Luxúria. Esplendor. Vaidade.

PEIXE: Sexualidade. Riqueza. Especulação da sorte.

RATO: Pobreza. Roubo.

RELÓGIO: Morte. Tempo em qualquer manifestação. Mudança.

REVÓLVER, PISTOLA, RIFLE: Discórdia. Desastre. Calúnia.

ROCA DE FIAR: Criatividade. Mudança. Sexualidade. Transformação.

RODA: Estações. Reencarnação. Plenitude. Fins. Eternidade.

ROSA: Amor. Amor perdido. Riqueza de vida. O passado.

SAL: Pureza. Purificação. Dinheiro. Estabilidade. Base. Limpeza. Cura.

SEMENTE DE CARVALHO: Homens. Juventude. Força.

SINO: Celebrações. Casamento. (Os sinos dobram pelo novo, mas também pelo velho. O sino pode anunciar tempos difíceis também.)

TARTARUGA: Indolência. Fertilidade. Fuga. Estagnação.

TESOURAS: Discussões. Separações.

TRIÂNGULO: Com ponta para cima: boa sorte. Com ponta para baixo: azar.

UNHA: Dor. Angústia.

VACA: Dinheiro ou prosperidade.

VASSOURA: Limpeza. Feminilidade. Domesticidade. Purificação. Cura. Guerra à negatividade.

Lembre-se de que estas são apenas sugestões. É impossível dizer exatamente o que uma bandeira do seu país significaria para você, do mesmo modo como é impossível para você determinar o significado de um bode para outra pessoa. O segredo dos símbolos se revela àqueles que trabalham com eles por meio de suas próprias mentes.

Imaginação E Visualização

É exatamente o que parece. A imaginação é a origem de todas as coisas produzidas pelos humanos. É o instrumento vital que será utilizado em magia mais do que qualquer outro.

A imaginação é uma necessidade na adivinhação para decifrar o simbolismo. É também necessária na visualização exata daquilo que precisa durante a prática da magia.

A imaginação não é um devaneio mental descontrolado. Como a obra de um talentoso artista que, pelos pincéis e tintas, produz uma tela completa e acabada, a imaginação pode ser utilizada para produzir uma imagem perfeita de sua necessidade.

A imaginação é a habilidade de usar sua mente de modo criativo. A palavra “criativo” está ligada a “criação”. Num sentido real, você “cria” aquilo que imagina, ou visualiza, como também se diz. Este é um dos fundamentos da magia: visualização, feita por sua imaginação.

Certamente você é capaz de, neste instante, visualizar uma quente praia havaiana, mesmo sem nunca ter estado lá. Pode também visualizar uma margarida, ou um telefone.

Na magia, a imaginação é usada para visualizar a necessidade.

Se por algum motivo a visualização da necessidade é impossível, visualize um símbolo que corresponda a ela. Uma pomba para a paz, ou uma rosa para o amor.

SCRYING

Um dos métodos de adivinhação mais utilizados, o scrying consiste simplesmente em olhar para um vaso, superfície ou material. Métodos de scrying englobam uma ampla variedade, utilizando de tudo, desde fogo até água.

O segredo do scrying é o relaxamento. Se estiver tenso, com seus olhos desesperadamente em busca de símbolos, não funcionará.

Relaxe e olhe. Os símbolos virão até você.

Pode parecer simples demais, mas é verdade. Alguns métodos são mais eficazes que outros, portanto a experiência prática é fundamental para descobrir aquele que melhor lhe serve.

O scrying funciona devido a vários fatores. Os padrões aleatórios de montinhos de terra, ou das ondas de um riacho, ou da brasa brilhante de uma fogueira que se apaga, permitem que a mente consciente relaxe seu controle e que o subconsciente sussurre em seus ouvidos, indicando os símbolos com os quais você pode destravar as respostas às suas questões, ou antever seu futuro.

Com prática, pode se tornar muito eficaz.

Forma extremamente poderosa de magia, a concentração – reter um pensamento ou imagem, ou figura, na mente sem interrupção de outros dados e idéias – é fundamental para muitos encantamentos e rituais.

A lógica é clara – aquilo que mantemos em mente e em que nos concentramos recebe poder. Se se concentrar em sua necessidade, por exemplo, enquanto ata uma folha a uma árvore, você acrescenta seu poder (invocado pela mente) ao encantamento.

O pensamento positivo é um exemplo do poder que a mente pode exercer sobre o mundo. Sabemos que o telefone, o avião, a lâmpada elétrica e tudo o mais que nós criamos começou com um pensamento. O pensamento foi mantido (concentração) até que pudesse ser transformado em manifestação (criação).

De modo semelhante, mantemos um pensamento (a necessidade) e enquanto isso utilizamos a emoção e o conhecimento para que essa necessidade possa se manifestar (criação).

Se não nos concentramos em nossa necessidade, a emoção oscila, o conhecimento se torna inútil e sem forças, e então seria melhor nem ter iniciado o encantamento.

A concentração é parte vital de qualquer encantamento. Apesar de algumas pessoas terem dificuldades em se concentrar devido ao dia-a-dia atribulado, um simples exercício, com perseverança, pode trazer ótimos resultados.

À noite, isolado de outras pessoas, luzes e ruídos, acenda uma vela branca e deite-se ou sente-se confortavelmente diante dela.

Relaxe seu corpo e olhe fixamente para a chama da vela, afastando quaisquer outros pensamentos.

Se não conseguir não pensar em mais nada além da vela brilhando no escuro por mais de dois minutos, você está no caminho certo.

Sentindo Poder

Que poder? Não a energia elétrica levada à sua casa, mas os poderes da magia, as forças dos elementos e ventos, a energia que mantém nosso planeta em rotação dentro de nossa galáxia em rotação, dentro de um universo em rotação. Esta é a verdadeira energia da magia.

Uma das melhores maneiras de se familiarizar com esse poder é pela memória. Temos o poder sempre: é o que mantém nosso corpo funcionando de modo correto. Nós o absorvemos pelos alimentos que comemos e o liberamos por exercícios físicos, trabalhos mentais e funções corpóreas simples, como piscar e respirar.

Uma vez que está sempre conosco, por vezes ele se manifesta.

Muitas pessoas já passaram por uma tempestade. Relâmpagos cortam os céus, o vento e a chuva desabam, e os céus ribombam em tremendos trovões. Tais tempestades costumam causar reações inesperadas.

Pode sentir um calafrio, tanto por medo como por admiração diante de uma demonstração espetacular dos poderes ilimitados da natureza.

Se puder se lembrar de uma tempestade especialmente violenta que lhe tenha causado calafrios, tente recapturar seus sentimentos. Evoque o momento, lembre-se de suas reações à tempestade.

Pode começar a se sentir carregado de energia. Seu pulso e sua respiração podem se acelerar, os músculos de seu corpo podem se contrair, e você pode começar a transpirar.

Essas alterações físicas são manifestações do aumento de energia que surge em seu corpo.

É a mesma energia utilizada na magia. Como já mencionado, muito dessa energia é gerado pela emoção. As reações emocionais às situações podem trazer resultados surpreendentes (a mulher frágil que ergueu um carro de cima da perna de seu filho, por exemplo) que parecem desafiar as leis normais.

Este não é o caso. Essas coisas são manifestações de outras leis da natureza ainda não descobertas pela ciência.

Uma vez que a emoção é um excelente modo de sentir o poder, uma forte reação emocional – como aquela à tempestade – é normalmente resgatada para auxiliar no fluxo do poder.

Obviamente seria ridículo erguer-se e reviver uma tempestade antes de cada encantamento. Simplesmente utilize este exercício para sentir a energia – a energia que se manifesta nos músculos tesos, na aceleração da respiração e dos batimentos cardíacos, e talvez na sudorese.

Uma vez que tenha sentido e seja capaz de senti-la voluntariamente, você pode gerar poder e enviá-lo durante seus encantamentos para elaborar sua necessidade.

Qualquer encantamento praticado nesse estado será muito mais eficaz do que um desprovido de emoção.

Novamente, use sua emoção relacionada à necessidade daquele encantamento em particular par atingir esse estado. Se precisar desesperadamente de 500 dólares para uma conta esquecida, inesperada ou vencida, despeje toda a sua concentração no encantamento. Mas reforce-o com a absoluta certeza de que você pode e vai atraí-lo a você.

Elementais

Os “elementos” dentro do simbolismo mágico são os componentes básicos de tudo o que existe. Esse quatro elementos – Terra, Ar, Fogo e Água – são ao mesmo tempo visíveis e invisíveis, físicos e espirituais.

A partir desses elementos todas as coisas foram formadas, de acordo com o pensamento mágico. Nosso conhecimento científico atual, que sustenta haver muitos outros “blocos de construção”, não contraria este princípio; é apenas uma versão mais elaborada.

Não é nada sábio encarar os quatro elementos em termos puramente físicos. Terra, por exemplo, refere-se não apenas ao planeta no qual vivemos, mas também ao fenômeno terreno, da base e da estabilidade. Similarmente, o Fogo é muito mais do que a labareda.

Uma vez que esta é a magia da Natureza, utilizando poderes, instrumentos e símbolos naturais, é importante compreender tais poderes. Um dos meios de fazê-lo é por intermédio do estudo dos elementos.

O sistema elemental foi elaborado e aprimorado na Renascença, mas sua raízes se estendem muito mais para trás na história. Pode ser visto apenas como um conveniente sistema de organização para os diversos tipos de magia. Pode também ser encarado como o real sistema de poderes que podem ser acessados para auxiliar em encantamentos e rituais. Cabe a você definir o modo como os vê.

Apesar de os elementos serem descritos como “masculinos” e “femininos”, isso não deve ser encarado de maneira preconceituosa. Assim como todos os sistemas da magia, isso é simbólico – descreve os atributos básicos dos elementos em termos facilmente compreendidos. Não significa que seja mais masculino praticar magia do Fogo, ou que a magia de Água seja mais apropriada para mulheres. É apenas um sistema de símbolos

Nenhum comentário:

Selo do Magia se faz na Cozinha

create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!